Meia Hora

Meia hora, o que uma meia hora é?

Em trinta minutos, o que se pode ver

se eu vivê-los ao máximo, ou perto disso

terei eu a capacidade de descrever?

 

Bem, esses são dias nos quais eu posso me orgulhar

Os grandes lamentos, a vida sem sentido

A canção cinzenta, o amor perdido

Tudo isso está  deixando de me segurar

 

Porém os maus tempos também são ouvidos

A morte já não parece tão triste, apesar da vida ter todo o calor

A cada suspiro, um doce furor

A cada volta, surge mais uma cor

 

Como se ela já não estivesse sempre ali

Soprando sua vida pra dentro de mim.

 

Ah, desse momento eu sou o melhor amante

Cada “de repente”, cada sibilo

Desses pássaros aqui comigo

Cada passo no musgo úmido, cada riso, cada instante.

 

Apesar dos fiapos de manga no dente,

Sigo dançando, pulando e sorrindo

Olhando para o céu com um ar de contente

Os trinta minutos se foram, e a chuva está vindo.

 

‎22‎ de ‎dezembro‎ de ‎2011

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s